SOBRE A AÇÃO DAS FFAA DURANTE A GREVE
 

 

NOSSAS FORÇAS ARMADAS



Jacy de Souza Mendonça





Nem durante nem depois da greve (?) dos caminhoneiros encontrei algum comentário sobre o papel das Forças Armadas durante o evento, por isso tomo eu mesmo, agora, a iniciativa de fazê-lo..

Com toda a evidência havia os que desejavam ardentemente que elas aproveitassem o ensejo para acabar com a bagunça de nossa administração pública, assumindo de vez o poder e, a partir daí, que utilizassem sua organização, força e disciplina para reprimir os arruaceiros, tendo em vista a gravidade do mal que estavam causando à nação.

Havia, por outro lado, os que, ressabiados pelo passado recente, principalmente aqueles que foram punidos como reprimenda à sua violência política, aqueles que desejavam já então colocar-nos no rumo que levou a rica Venezuela à situação em que se encontra hoje, temiam que elas se intrometessem e os punissem novamente, como fizeram no passado.

Não cabe aqui julgar o mérito das duas tendências. O fato é que nossas Forças Armadas não seguiram nem a um nem o outro desses caminhos. Durante a arruaça, apenas auxiliaram a Polícia Civil na manutenção da ordem e de um sistema de coleta de provas fotográficas de todas as ações criminosas que estavam sendo perpetradas auxiliaram também aqueles que, por motivos de urgência, principalmente resultantes de questões de saúde, precisavam trafegar pelas vias públicas bloqueadas e conflagradas.

Cessada oficialmente a ação, as Forças Armadas passaram a colaborar com os motoristas que (por vontade própria ou não) estiveram no conflito, mas dele queriam se desvencilhar e só com essa ajuda poderiam retornar à tranquilidade de suas casas. Organizaram, em seguida, o reabastecimento das Distribuidoras e Postos de Gasolina, comboiando caminhões com combustível que deviam realizar esse trabalho no mais curto prazo possível. Em suma, só ajudaram!

É preciso deixar registrada uma moção de honra e agradecimento público por esses gestos de patriotismo e cidadania de nossos militares (brasileiros e patriotas como nós). Mesmo aqueles que um dia os criticaram lhes devem hoje um preito de gratidão.

Obrigado!