ALEMANHA: TERRORISTA REJEITA ACUSAÇÕES
 

 

“Eu não tenho medo de vocês” Afirmou Salah Abdeslam ao rejeitar prestar declarações

N-TV KÖLN


05  de  Fevereiro de  2018


Suspeita-se que Salah Abdeslam teve participação no ataque terrorista ao Bataclan, em  Paris. Agora ele tem de enfrentar o Tribunal na Bélgica. A audiência não tratou dos ataques que aconteceram na França, mas sim, das diversas tentativas de assassinato de policiais belgas por motivações terroristas. O acusado agora se silencia.

O único suspeito sobrevivente dos ataques terroristas de Paris, em novembro de 2015, manteve-se em silêncio no Tribunal de Justiça, na Bélgica. Salah Abdeslam, não respondeu a nenhuma pergunta perante o júri em Bruxelas e disse: “Essa é a minha defesa”. Seu silêncio, não significa que ele tenha cometido um crime.

Abdeslam aproveitou a oportunidade, de claramente desrespeitar a Justiça belga.“Eu não tenho medo de vocês. Eu confio em Allah”. Ele ainda reclamou que não existe para os muçulmanos, o Princípio de Inocência. O processo contra o francês de 28 anos, de ascendência marroquina é a respeito da abertura de fogo contra policiais na Bélgica.Essa é a sua primeira aparição pública, desde a sua prisão em março de 2016.

A priori, o processo contra Abdeslam não tem ligação com os ataques terroristas a Paris, onde 130 pessoas foram mortas. De acordo com o juiz Luc Hennart, o processo foi aberto, apenas pelos eventos ocorridos em 15 de março de 2016, na Bélgica.

Nem o atentado de Paris e nem o de Bruxelas foram postos em questão na audiência, contudo Abdeslam pode pegar até 40 anos de cadeia, por diversas incitações feitas para assassinar policiais belgas, com motivações terroristas.

Em março de 2016, a polícia de Bruxelas localizou o esconderijo de Salah Abdeslam, no subúrbio da comuna de Vorst. Houve troca de tiros e 3 funcionários públicos ficaram feridos e um suspeito de 35 anos, de origem argelina, chamado Mohamed Belkaïd foi morto. Abdeslam e seu cúmplice, Sofiane Ayari, um tunisiano de 24 anos que igualmente foi levado ao Tribunal de Bruxelas, conseguiu escapar do cerco policial. Três dias depois, ele foi preso.

A audiência foi realizada com fortes medidas de segurança

No início da audiência, ambos os suspeitos foram indagados a respeito de suas identidades. Primeiramente, Abdeslam não se manifestou. Soufien Ayari respondeu às perguntas feitas pela Corte, confirmando que tinha imigrado da Tunísia e que fizera parte da milícia terrorista do ISIS, na Síria. Ayari também confirmou que ele e Abdeslam estiveram no local dos ataques no mesmo dia em que ocorreram e, além disso, eles aguardaram a chegada das armas, em um apartamento.

A audiência realizada em Bruxelas foi feita com um forte esquema de segurança. Centenas de militares e policiais belgas estavam mascarados e fortemente armados, fazendo a segurança do Palácio da Justiça. Durante a chegada de Abdeslam, um helicóptero equipado com holofotes realizava buscas nos telhados dos prédios e veículos blindados se posicionavam na região. 

Antes do juiz Luc Hennard, responsável pela audiência, dar início às atividades, Abdeslam avisou ao seu advogado que não queria ser filmado ou fotografado durante a audiência. Dezenas de jornalistas tiveram que se cadastrar até a sexta-feira, para participarem da cobertura do evento.

“Apesar das medidas de segurança e do enorme interesse público, a audiência precisa permanecer em sua normalidade”, alertou o juiz Hennart. Ela ainda avisou, que o problema menor, seria esvaziar a sala de audiência.

Tradução - Márcio Alexandre: http://www.ma-traducoes.webnode.com/