PARTIDOS ALEMÃES QUREM A LIBERAÇÃO DA MACONHA
 

 

 FDP quer a liberação da maconha Primeiramente, em caráter experimental

Julia Emmrich

BERLINER MORGENPOST

 24/01/2018


Não é habitual que FDP, Verdes e o Die Linke naveguem num mesmo barco. Porém, quando o assunto é a legalização da maconha, os três partidos se unem. Por iniciativa da bancada do FDP no Bundestag, o projeto modelo que reivindica a liberação controlada da maconha já recebe aplausos dos Verdes e do Linke. O “Passo Adiante” soa como uníssono.

A proposta dos liberais deve entrar em pauta no Bundestag, no mês de fevereiro e inicia uma reviravolta na política de drogas da Alemanha. “Cerca de 4 milhões de consumidores de maconha,  (MACONHEIROS!!!), mostram que até agora a estratégia do governo alemão, falhou”, disse o presidente do FDP em Hamburgo e odontologista, Wieland Schinnenburg. O deputado do Bundestag e representante da cidade de Hamburgo ,acredita no pioneirismo da legalização. “É hora de procurar um novo caminho para tratar o tema maconha”.


Os liberais do FDP argumentam que a legalização traria mais vantagens. Segundo eles, a qualidade dos produtos originários da maconha seriam controláveis, através de uma taxação como gêneros alimentícios supérfluos e por dela, o governo acabaria arrecadando dinheiro.Por outro lado, eles afirmam que seria possível também promover a prevenção à dependência. A polícia e a Justiça seriam desafogadas, se o cultivo, o comércio e consumo, não fossem mais repreendidos.


Os liberais afirmam ainda, que não querem que a liberação seja feita de uma só vez. “Para estudar uma liberação controlada da maconha são necessários modelos para o projeto”. É o que diz o requerimento feito pela bancada do partido, no Bundestag, o qual o Berliner Morgenpost teve acesso.

O partido diz ainda que é preciso garantir, incondicionalmente, que menores de idade não tenham acesso aos produtos derivados da maconha, além de previnir que os integrantes dos estudos a serem realizados, não façam consumo excessivo da erva.

A cidade de Münster e o distrito berlinense de Friedrichshain-Kreuzberg, já propuseram no passado, tal projeto de pesquisa, porém o governo federal alemão foi contra. Agora, o FDP está propondo às administrações de ambas as comunas, a solicitarem novamente permissão ao governo federal, e também incentivam que outros Estados e municípios alemães conduzam testes semelhantes.

Os liberais esperam por uma grande aliança no Bundestag

Os Verdes partilham da mesma reinvidicação do FDP. “Modelos de projetos para liberação controlada da maconha, poderiam ser o 1º passo sensato e contribuiria para o objetivação das discussões”, disse Katja Dörner, vice-chefe da bancada dos Verdes, em entrevista ao jornal.

Como os liberais, os Verdes também afirmam que a política de probição da maconha na Alemanha, fracassou. “A descriminalização e a liberação controlada da maconha estão demorando. Só assim o mercado negro poderá ser esvaziado e se levantaria uma barreira eficaz para crianças e adolescentes”, afirmou Dörner.

"Maconheiros com Lindner". É assim que a iniciativa do FDP ficou jocosamente conhecida dentro dos corredores do Bundestag.
A proposta do FDP  foi aplaudida pelos Verdes e também contou com um sinal de aprovação pelos integrantes do Die Linke. “Nós estamos abertos a tudo, que possa terminar com a política absurda de criminalização da maconha. Modelos de projeto são pequenos passos para a frente, por isso é muito bom que sejam criados”, disse Jan Korte, líder da bancada do Die Linke no Bundestag. E completou: “Quem quiser realmente a legalização da maconha, em princípio, não poderá escapar da emenda da Lei dos Narcóticos”.

O político do FDP, Wieland Schinnenburg, aposta numa grande aliança dentro do Bundestag. “Eu espero que os Verdes, o Die Linke e o SPD apoiem a nossa proposta”.


O SPD ainda não chegou a um acordo a respeito do tema maconha. O até então chefe do partido, Martin Schulz, por exemplo, é contra a legalização, pois ele quando jovem já teve problemas com alcoolismo.


Entretanto,durante a disputa eleitoral, Schulz se manifestou a favor de que fosse realizada uma sessão no Bundestag para discutir o tema, e para isso, os partidos políticos não poderiam influenciar os seus membros a votarem com de acordo com as suas lideranças.

Tradução - Márcio Alexandre: http://www.ma-traducoes.webnode.com/