ALTERNATIVE FÜR DEUTSCHLAND RADICALIZA
 

 

Gauland e Weidel formam dupla de candidatos do AfD à chancelaria

23 de abril de 2017

Rádio Deutschland Funk 24


23 de abril de 2017

O AfD concluiu seu plano eleitoral para as eleições do Parlamento Federal Alemão. Dentre os planos do partido estão a execução de um mínimo de deportações anual e a contenção da imigração. Além de recusar famílias de imigrantes. Alexander Gauland e Alice Weidel são nomeados como candidatos

 
 O AfD já concluiu seu programa eleitoral. O partido está a 5 meses, de pela primeira vez, entrar para o Parlamento Federal. Os delegados federais do partido, aprovaram o documento, em evento na cidade de Colônia, com grande maioria da votação.

O Islam não pertence à Alemanha
 

O partido agirá de forma rigorosa quanto à política de refugiados. Abaixo, estão listados os principais pontos do programa eleitoral:

1. Uma quota mínima anual de deportações.
2. Recusa da entrada de qualquer família de imigrantes.
3. Expatriação de imigrantes criminosos.
4. Implantação do discurso de que o Islã não pertence à Alemanha.

 No grande salão, onde a convenção do partido foi realizada, o tema família, também foi abordado. No documento aprovado pelo partido, há abordagens que citam ações que visam parar uma tendência, que segundo o AfD, implicará na extinção dos alemães. Para evitar isso, segundo o partido, será necessária uma participação ativa da população. Assim, providências serão tomadas a fim de assegurar um maior número de nascimentos de alemães, garantindo a preservação da nação.
 

Outros exemplos das reivindicações são as seguintes:
1. Saída da zona do euro.
2. Redução da maioridade penal para 12 anos.
3. Referendo abrangendo todo o país.
4. Retomada da revolução da matriz energética.
5. Revogação das transmissões de rádio no país.
6. Redução dos impostos sobre vendas de 12% para 7%.
7. Fim do imposto sobre doações e heranças.

 O lançamento dos dois candidatos do AfD à chancelaria, é formado pelo vice-presidente do partido, Alexander Gauland e pela economista Alice Weidel, do estado de Baden-Württemberg. A escolha foi aprovada por 67,7% dos totais de votos durante a convenção do partido na cidade de Colônia.

O revés para Petry 

A chefe do partido, Frauke Petry, informou anteriormente que não estaria à disposição no escritório do partido. Ontem dia (22/04), na convenção do partido, decidiu-se rejeitar o recurso interposto por Petry, sobre a direção que o AfD terá no futuro. Petry queria que o seu partido tomasse um caminho de uma política real e que aceitasse possíveis coalizões com outros partidos.

Tradução: Márcio Alexandre