ALEMANHA: EFEITO INICIAL SCHULTZ NÃO SE SUSTENTOU
 

 


Efeito Schulz foi muito pequeno. CDU festeja com surpresa vitória incontestável em Saarland

Por Bárbara Galaktionow

SÜDDEUTCHE ZEITUNG

26 de março de 2017

O medo da aliança  Vermelha-Vermelha [1] deu a vitória inesperada e espantosa à Ministra-Presidente do  CDU [2], Kramp-Karrenbauer em Saarland?


Nas últimas semanas a Euforia Schulz pareceu vultosa e milhares de pessoas consideraram notável o anúncio de Martin Schulz, para a vaga na chancelaria alemã, pelo  SPD [3]. No dia da convenção do partido, os delegados do SPD, elegeram o ex-presidente do Parlamento Europeu Schulz, como novo chefe do partido, num impressionante resultado de 100% da votação.

Claramente, os sociais democratas, realizaram um grande salto nas pesquisas eleitorais, e em Saarland, o CDU também crescera repentinamente. No  Union, [4] por sua vez, houve uma certa desconfiança nos resultados, não só em  Saarbrücken [5], como também em Berlim. Por sua vez, os integrantes do partido, observaram uma esperança de reconquistar o posto de Ministro Presidente após 20 anos. Além disso, os sociais democratas aguardavam um sinal de uma "Super Eleição" em 2017, com a antecipação da conquista de 3 Estados a da chancelaria em setembro. 

No entanto, isso não aconteceu. O CDU em Saarland, conforme as primeiras projeções, conseguiu um maravilhoso resultado. Eles claramente ganharam e ficaram 10% à frente do SPD. 

Annegret Kramp-Karrenbauer, Ministra Presidente do CDU, se tornou a vistosa vencedora nas eleições estaduais. Ela é bastante popular em seu Estado e provavelmente estará propensa a comandar uma grande coalizão que poderá ser formada. De resto, isto é também um sinal para uma formação de um governo, do qual as pesquisas eleitorais, já mostram que grande parte dos cidadãos de Saarland desejariam. A formação de um governo de coalizão Preto-Vermelho, ou seja, entre o CDU e o SPD, tranquilizaria o Estado e conduziria a um sucesso em outros aspectos.  

Pela primeira vez, uma aliança estadual com o AfD está sendo mobilizada e até agora, os outros partidos não estão questionando o fato. Outras opções foram calculadas e analisadas, mas são claramente impossíveis, assim da mesma forma para Vermelho-Vermelho e Vermelho-Vermelho-Verde. O Die Linke se conformou com a perda de votos e os Verdes fracassaram com 5% dos votos nas urnas.

Os últimos dias que antecederam as eleições foram especiais para o discurso dos Vermelho-Vermelho. O candidato do Die Linke, Oskar Lafontaine, já está convencido de que poderá ser um "sócio minoritário" num futuro governo. Seria a primeira união entre o SPD e o Die Linke nas planícies do oeste da Alemanha. Análises apontam para um possível consentimento. 

Mobilização dos indecisos

A candidata do SPD, Anke Rehlinger, deixou a pergunta em relação à uma coalizão, em aberto. Possivelmente ela se prejudicou nas eleições. Na verdade, o SPD confiou demais nas projeções das pesquisas, as quais exaltaram Martin Schulz e acabaram ficando abaixo do resultado conquistado nas eleições de 2012.
Pode ser que as ressalvas contra a participação do Die Linke  em um governo foram maiores do que os observadores imaginavam no oeste da Alemanha. Talvez os potenciais eleitores do SPD fizeram uma mudança de voto para o CDU.

Possivelmente trata-se de uma mobilização. A  ARD [5] (Associação de Emissoras de Radiodifusão da Alemanha), sustenta que a vitória do CDU, se deveu a grande quantidade de eleitores indecisos.
E

m todo caso, a tão apregoada Euforia Schulz, poderia, devido ao resultado em Saarland, permitir constatar a sua diminuição. Em função desse fato, o Union poderia desfrutar de algum alívio para a disputa das eleições federais.

Em especial, a chanceler Angela Merkel ficou muito feliz por dois motivos. O primeiro se deve  ao bom resultado de sua colega de partido, Kramp-Karrenbauer. Segundo, que seu adversário Schulz, ficou pouco satisfeito com a solidificação da contagem de votos, que se refletiu bem abaixo das expectativas.     

NOTAS DO TRADUTOR:

[1] Aliança entre o Die Linke e o SPD
[2] Christliche Demokratische Union Deutschlands ou União Democrática Cristã da Alemanha.
[3] Sozialdemokratische Partei Deutschlands  ou Partido Social Democrata da Alemanha.
[4] Associação entre os partidos CDU e CSU.
[5] Estado da Federação Alemã. 
[6]Arbeitsgemeinschaft Rundfunkanstalten Deutschlands. São aproximadamente 9 emissoras. 


Tradução: Márcio Alexandre