AS RELAÇÕES ATUAIS ENTRE ALEMANHA E ISRAEL

 

Netanyahu critica Gabriel: “Extremamente indiferente


Por Süddeutsche Zeitung


28 de abril de 2017


- Em uma entrevista, o Premier de Israel, Benjamin Netanyahu, reiterou suas críticas ao ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Sigmar Gabriel.

- Numa recente visita de Gabriel a Israel, o encontro com Netanyahu não ocorreu, pois o ministro alemão do SPD encontrou-se com organizações de direitos humanos do país.

- Netanyahu, contudo, frisou que as relações com a Alemanha são extremamente boas e que está feliz com visita do presidente Frank-Walter Steinmeier.


O primeiro ministro Benjamin Netanyahu acusou o ministro das Relações Exteriores da Alemanha de insensibilidade. Netanyahu cancelou um encontro com o ministro do SPD, pois o mesmo esteve em encontro com grupos que criticam o governo de Israel.


Em declarações dadas ao jornal alemão BILD, Netanyahu esclareceu o cancelamento. “Meu princípio é claro: eu não recebo diplomatas de outros países que visitam Israel e se encontram com organizações que chamam nossos soldados de criminosos de guerra”.


Na terça-feira (25/04), Gabriel participou de discussões com representantes dos grupos “Breaking the Silence” e “B’Tselem”. Ambos os grupos criticam Israel pela política de ocupação em regiões palestinas. Gabriel viu por detrás da decisão de Netanyahu, motivos políticos internos. As relações alemãs-israelenses já passam por momentos críticos.


Netanyahu: “Ele recusou um telefonema”      


“Breaking the Silence” não é uma organização de direitos humanos. Trata-se de uma organização que visa criminalizar os soldados israelenses”, disse Netanyahu ao jornal BILD. “Eu acho que foi extremamente insensível realizarem nesse momento, tal encontro”, disse o primeiro ministro, referindo-se ao acontecimento das discussões, logo após o dia de Lembrança do Holocausto. “Nesse dia ficamos de luto em memória às vítimas do nosso povo no Holocausto e dos nossos soldados mortos”.


Após o caso, Gabriel se recusou a fazer declarações sobre o assunto. “Eu quis conversar com ele pelo telefone, esclarecendo a minha posição para solucionar as coisas, mas ele recusou o telefonema”, disse Netanyahu.


O Ministério das Relações Exteriores contesta esta afirmação. De acordo com a declaração no círculo de Gabriel, Netanyahu já tinha apresentado o cancelamento, em vez de oferecer um novo encontro, mas tendo duas condições. São elas: Gabriel não deveria participar de encontros com ativistas críticos do governo israelense, enviar um substituto. Além disso, o substituto deveria oficialmente, participar de um encontro em um assentamento judeu na região palestina. O lado alemão não quis se envolver com isso. Os assentamentos judeus em regiões palestinas são vistos como prejudiciais, de acordo com o Direito Internacional.


 

Sinais positivos antes da visita de Steinmeier

 


Sobre a pergunta, se ele mantém a posição de que Gabriel é um amigo verdadeiro de Israel, Netanyahu replicou: “Eu espero que Gabriel se encontre comigo na próxima visita a Israel, ao invés de grupos radicais marginais que minam a segurança de Israel”. Ao mesmo tempo ele salientou que o relacionamento entre Israel e Alemanha são extremamente fortes e continuarão assim. Além de ressaltar que a chanceler alemã é uma amiga verdadeira de Israel.


Ângela Merkel se posicionou em apoio a Gabriel, após o incidente diplomático. 


Sobre a iminente visita do presidente Frank-Walter Steinmeier, Netanyahu disse que ficará feliz pela presença do presidente alemão e espera ter um bom diálogo com ele.


Tradução: Márcio Alexandre